domingo, 20 de abril de 2014

Faciplac Gama (DF) contrata gerente de comunicação

Requisitos: Ensino superior completo, pós-graduação desejável com experiência em marketing, comunicação e liderança de equipe. Currículo para: rhfaciplac@gmail.com, drh.faciplac@gmail.com. Dúvidas: 61 3035-3902.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Qualidades pessoais, como mente aberta, são mais importantes do que habilidades técnicas.

Por  | 

Uma pesquisa com 500 líderes de empresas nas áreas de comunicação e tecnologia concluiu que qualidades pessoais são mais importantes do que habilidades técnicas. IntituladoTomorrow’s Most Wanted (Os Mais Desejados do Amanhã, em português), o estudo foi conduzido pela Hyper Island durante três meses em 2013.
Qualidade pessoal ― como personalidade, criatividade, mente aberta, capacidade de solucionar problemas e geração de ideias ― são os atributos mais importantes de um colaborador na avaliação de 78% dos líderes.
Em segundo lugar, aparece o alinhamento do perfil do colaborador à cultura corporativa da empresa (53%). Habilidades técnicas vêm apenas na terceira posição (39%).
O gráfico abaixo apresenta o resultado em âmbito global e em outros cinco países pesquisados.
Os Mais Desejados do Amanha - em portugues
Johanna Frelin, CEO of Hyper Island, analisou o resultado da seguinte forma:
“O desenvolvimento da tecnologia é hoje muito rápido e não há sinais de que vá desacelerar. Então, habilidades se tornam obsoletas em pouco tempo. Mas a forma como você trabalha, a capacidade de se liderar e de ser um membro eficaz de uma equipe é que farão você ser contratável por um longo período. Uma personalidade curiosa é capaz de desaprender e reaprender de acordo com os novos ambientes e realidades”.
O estudo pode ser acessado pela página da Hyper Island (em inglês).∞

sábado, 5 de abril de 2014

6 hábitos do brasileiro no trabalho que gringos não entendem

Como em qualquer relação com culturas diferentes, brasileiros podem ter alguns desafios ao trabalhar com outros povos; veja quais são os mais comuns


, de Getty Images
Pessoa com bandeira do Brasil pintada: para especialistas, brasileiros tendem a emitir sinais contraditórios no ambiente de trabalho - e isso confunde estrangeirosAs empresas estrangeiras já não são as únicas a ultrapassar as fronteiras dos países de origem para, em alguns casos, mirar o Brasil. Mais e mais, as nacionais também estão ampliando seu campo de atuação e fincando bandeiras em outros territórios. 
Uma prova disso é uma pesquisa da Fundação Dom Cabral que mostra que o índice de internacionalização das companhias brasileiras pulou para 18% em 2012 - dois pontos acima do registrado em 2010.
Entre 2012 e 2013, por outro lado, o número de carteiras de trabalho emitidas para estrangeiros no país cresceu mais de 50%, segundo dados publicados no G1. Em outros termos, seja aqui ou no exterior, o contato do brasileiro com diferentes culturas aumentou – e o número tende a crescer nos próximos anos.

Por natureza, a cultura tupiniquim tende a ser mais aberta para o que é novo ou diferente. Mas, mesmo assim, temos alguns pontos de choque quando em contato com outros povos. Principalmente, quando o cenário para este encontro é o mercado de trabalho.

“O conflito cultural nasce porque tivemos experiências pessoais específicas e construímos, a partir delas, ritos e comportamentos”, diz Fabiana Gabrieli, professora da HSM Educação.

De fato, a imagem que se cria sobre um povo não é verdade para todos que estão inseridos naquele grupo. É só você pensar: nem todo brasileiro gosta de samba, futebol e feijão com arroz – características que fazem parte do nosso estereótipo no exterior.

Mas há características gerais que marcam uma dada cultura, como explica a consultora Jussara Nunes, da LCO Partners, que vive há 11 anos na Holanda.

Por isso, as atitudes listadas a seguir são fruto de uma reputação mais geral criada pelos brasileiros no mundo corporativo e baseadas nas experiências de três especialistas no assunto. Confira.
1 Rodear e rodear para, enfim, chegar ao ponto
O principal desafio do brasileiro ao lidar com outras culturas está, vejam só, na comunicação. E não é só uma questão de fluência em outro idioma. O que “pega” para os estrangeiros é a maneira como nos expressamos.

“O brasileiro precisa explicar antes de chegar ao ponto”, afirma Jussara. “Os anglo-saxões, em geral, vão direto ao ponto: falam primeiro o que querem e, depois, tecem uma conversinha conforme o que o outro pede”.

terça-feira, 1 de abril de 2014

UFMT inscreve até dia 6 candidatos para concurso de revisor de texto


O Campus Cuiabá abriu uma vaga de Revisor de Texto. Requisito: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso superior em Comunicação Social ou Letras, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC. 

quarta-feira, 26 de março de 2014

segunda-feira, 24 de março de 2014

Inscrições para jornalista da Prefeitura de Canaã dos Carajás (PA) terminam hoje


jornalista
Bacharel em Comunicação Social.
1
R$ 3.018,19
40 horas (semanal)
Editar, redigir, interpretar e organizar as notícias e informativos a serem divulgados externamente e/ou na própria Prefeitura, expondo, analisando e comentando os acontecimentos, para transmitir informações da atualidade e ocorrências cotidianas ao público, através de meios de comunicação internos e/ou externos;coletar informações e produzir textos para matérias de jornais impressos (informativos em geral) rádio e TV; Produzir fotografias; elaborar e selecionar textos (sonoros) e fotografias (imagens) produzidos pelos repórteres/cinegrafistas/fotógrafos para vídeos, periódicos e informativos radiofônicos; selecionar imagens (fotos), textos e entrevistas para publicação ou para jornal de TV/ documentário; elaborar pautas para os repórteres; elaborar planos de comunicação interna e externa para empresa ou órgão público; contatar direto com órgãos de imprensa, antes, durante e depois de eventos; produzir realises para divulgar o trabalho desenvolvido pela empresa ou órgão publico; criar e divulgar imagem da empresa ou do órgão publico à comunidade; contatar entre o órgão/empresa e a (s) agencia (s) de publicidade e de noticias; executar outras atividades correlatas ou decorrentes.

Fonte: PCI Concursos