terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Vaga de jornalista em Brasília

Repassando via Jobomas:

Descrição:
Irá atuar com acompanhamento da diretoria em viagens nacionais para cobertura de eventos corporativos ou relacionados, efetuar elaboração e publicação de notas de repúdio, comunicados, avisos em jornais de grande circulação e entre outras atividades.
Qualificação:
Experiência em redação de matérias para site e publicações impressas.
Formação:
Superior completo em Jornalismo.
Local de Trabalho:
Brasília / DF - 1 vaga

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Estágio em social media: Goiânia


Repassando:

Abrimos duas vagas, uma delas com contratação imediata. Quem estiver interessado pode enviar currículo pra contato@cubodeideias.com até amanhã, sexta-feira.

Vaga para social media: Goiânia (GO)

Repassando:

Se você quer conhecer um pouco a nossa história envie seu currículo para: digalogic@gmail.com.


Contratação em regime de CLT.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

domingo, 15 de janeiro de 2017

Vagas para estágio em Goiânia: Editor de imagens

Repassando:

Essencial conhecimento em Photoshop e outras ferramentas na área de edição de imagens.
Estar cursando nível superior na área . Designer , Fotografia ,Cinematografia e outros cursos relacionados.


Oferecemos vale transporte e bolsa auxilio valor 400 R$. 
2 vagas para período matutino das 8:00 as 13:00
4 vagas para período vespertino das 13
:00 as 18:00
(VAGA PUBLICADA 12 DE JANEIRO)



sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Saiu a Pesquisa Brasileira de Mídia 2016, sobre Hábitos de consumo de mídia pela população brasileira.


O acesso é este:

Manual para identificar notícias falsas na internet


Um jornalista consegue descobrir facilmente se uma notícia publicada na internet é verdadeira ou falsa. Mas muitos leitores precisam de uma mãozinha: pensando neles, a equipe do On the Media, programa apresentado por Bob Garfield (que esteve no 11º Congresso da Abraji) montou um pequeno manual, com 11 dicas simples que ajudam a separar o joio do trigo.
O material é o primeiro de uma série de “guias para consumidores de notícias” a ser traduzido para o português.
  1. Sinais de que uma notícia pode ser falsa: manchetes inteiras em LETRA MAIÚSCULA ou fotos obviamente manipuladas.
  2. O site tem muita publicidade, banners ou pop-ups? É um bom sinal de que a notícia pode ser falsa e que foi criada só para atrair internautas para o site.
  3. Verifique o endereço do site. Sites falsos frequentemente adotam nomes parecidos com os de veículos de comunicação reconhecidos.
  4. Se o site for desconhecido, procure informações no link “sobre este site”. Ou faça uma pesquisa no Google, colocando o nome do site e a palavra “falso”.
  5. Clique nos links da matéria. (Notícias falsas ou de baixa qualidade jornalística tendem a remeter para sites similares). E se a matéria não trouxer links, citações ou referências, esse é outro motivo para desconfiar.
  6. Confirme uma notícia improvável procurando por um veículo reconhecido que tenha publicado a mesma informação.
  7. Confira a data original da notícia. Mídias sociais com frequência “ressuscitam” notícias antigas.
  8. Leia além das manchetes. Elas frequentemente têm pouca relação com a matéria.
  9. Fotos podem tanto estar identificadas incorretamente como podem ser antigas. Use um site de busca reversa de imagens, como o Google Imagens, para identificar a publicação original.
  10. Use o seu instinto. Se uma notícia fizer você ficar com muita raiva, ela provavelmente foi construída para gerar essa reação.
  11. Finalmente, se você não tem certeza de que a notícia é verdadeira, não reproduza. Na dúvida, não compartilhe!
Via C-SE

Vaga para assessora de imprensa atuar em formato home office.

Repassando:
Interessados devem enviar currículo ressaltando experiência, contas atendidas e editorias trabalhadas.
O material deve ser enviado pelo WhatsApp (11-99633.6172) ou encaminhado para o e-mail o angela.qcc02@gmail.com.
Via C-SE

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Facebook para Jornalismo: rede social lança projeto para se aproximar da imprensa


Via C-SE
Ciente de que conta com milhões de internautas espalhados pelo mundo que valorizam “compartilhar e discutir ideias e notícias”, o Facebook dá neste início de ano passo que visa estreitar o relacionamento de sua comunidade com a imprensa espalhado em todo o mundo. É o “Projeto Facebook para Jornalismo”, apresentado pela equipe da empresa controlada por Mark Zuckerberg nesta quarta-feira, 11. O objetivo principal do programa será “assegurar que um ecossistema saudável de notícias” ganhe força no ambiente virtual, conforme ressalta a própria rede social.
A companhia americana explica no lançamento que o projeto chega para ser uma via de mão dupla: com profissionais de mídia e empresas do setor levando aprendizado para o time da rede, por exemplo. “Hoje anunciamos um novo programa para estabelecer laços mais fortes entre o Facebook e a indústria jornalística. Nós vamos colaborar com empresas de notícias para desenvolver produtos, aprender com jornalistas quais são as melhores formas para criar parcerias e vamos conversar com publishers e educadores para entender como podemos ajudar as pessoas a se tornarem leitores informados na era digital”, relata a equipe do Facebook.
A rede social informa que o “Projeto Facebook para Jornalismo” com três núcleos principais. O primeiro será voltado à “colaboração no desenvolvimento de novos produtos”. Nessa frente, que envolverá os departamentos de produto e engenharia da companhia norte-americana, serão desenvolvidos processos conjuntos para que, por exemplo, determinadas atividades e inovações dos veículos de comunicação sejam implementadas. Com esse intuito, o setor do programa é subdividido em cinco nichos:
  • Novos formatos para contar histórias = O Facebook dará apoio para os veículos de comunicação criem conteúdos em formatos já existentes – como Live 360 e Instant Articles. A rede social entenderá quais novos modelos podem ser desenvolvidos pela empresa de mídia parceira.
  • Notícias locais = Parte em que a rede social se propõe a promover a mídia independente e/ou que atua com alcance regional. O Facebook revela que essa ideia é “embrionária”, mas que já deseja receber desde já sugestões por parte dos jornalistas e veículos interessados no projeto.
  • Desenvolvendo modelos de negócios = “Vamos continuar trabalhando em opções de monetização para os parceiros, como expandir a inserção de anúncios em transmissões pelo Live para um grupo maior de parceiros e explorar a inserção de anúncios em vídeos gravados”, afirma a equipe da rede social que informa: programa para amplificar o volume de assinaturas do título alemão Bild será iniciado – em versão beta – nos próximos dias.
  • Hackatons = Organização de grandes reuniões que visem identificar quais ações podem ser desenvolvidas por determinada empresa de comunicação. Para isso, o Facebook deixará à disposição dos publishers parceiros seus engenheiros – para que possam comandar as sessões criativas.
  • Continuar a escutar = A rede social enfatiza que seguirá, além de tudo, como ouvinte dos produtores de conteúdo. Com isso, reuniões serão feitas em todos os cantos do planeta, além da manutenção da conferência anual conhecida como F8.
O segundo núcleo do “Facebook para Jornalismo” ganhou o nome de “treinamento e ferramentas para jornalistas”. Como fica explícito na nomenclatura, a divisão cuidará de fornecer cursos e ferramentas para os profissionais que atuam na imprensa. “Iremos expandir esses treinamentos para nove idiomas adicionais, entre eles Português e Espanhol, e vamos ter uma parceria com a Poynter para lançar um currículo certificado para jornalistas nos próximos meses”, informa a companhia, que adianta: a ferramenta Crowdtangle – ferramenta que ajuda editoras a rastrear como seu conteúdo se espalha na web, mensura a performance de matérias nas redes sociais e identifica influenciadores – passa a ser gratuita a partir e agora.
Área que pode ser considera desmembrada do segundo núcleo aqui relatado do novo projeto do Facebook, a terceira divisão foi batizada de “treinamento e ferramentas para todos”. A rede social explica que ao se aproximar dos jornalistas e das empresas de mídia, todas as pessoas presentes no ambiente virtual terão acesso a novos conhecimentos e serviços. Para o público em geral, porém, o foco da companhia tecnológica será voltado ao “discernimento de notícias” e, por outro lado, o “esforço permanente para combater boatos”.
“Isso é apenas o começo de nosso esforço — nós temos muito mais para fazer. O Projeto Facebook para Jornalismo funcionará como o eixo central de nossos esforços para promover e apoiar o jornalismo no Facebook, e iremos disponibilizar atualizações de nossas iniciativas aqui”, finaliza a equipe da empresa de Mark Zuckerberg ao anunciar o seu mais novo trabalho à imprensa e ao mercado.

Jornalista - Brasília


Cargo:Jornalista
Empresa:SOMA Desenvolvimento Humano
País:Brasil
Região/Estado:Distrito Federal
Cidade/Bairro obrigatório:Brasília
Área do cargo:Marketing e Publicidade
Data de publicação:10/01/2017



Rotinas da área.

Escolaridade mínima

Superior Completo

Habilidades esperadas

Formação superior em Jornalismo. Pós graduação desejável, preferencialmente na área. Experiência em redação de matérias para site e publicações impressas; release e entrevistas à imprensa; Acompanhamento da diretoria em viagens nacionais para cobertura de eventos corporativos e/ou relacionados; elaboração e publicação de notas de repúdio, comunicados, avisos em jornais de grande circulação, dentre outros. Domínio avançado do pacote Office. Conhecimento avançado da língua portuguesa.

Remuneração: a combinar

Fonte: Jobomas