sexta-feira, 27 de novembro de 2015

13 sites que querem mudar o jornalismo brasileiro

Estes projetos transformaram crise em oportunidade.
O momento do jornalismo brasileiro não é dos melhores. Redações sofreram cortes de pessoal, revistas fecharam, sites saíram do ar e jornais encolheram de tamanho.
Mas como momentos de crise também criam oportunidades, jornalistas e empresários estão se reorganizando em coletivos, revistas independentes e sites que estão movimentando o mercado. Veja alguns exemplos:

1. Brio

O “BRIO” publica uma grande reportagem por mês com “histórias que tenham vida, mas mas que dialoguem com temas relevantes da agenda brasileira e mundial”. Os responsáveis pelo projeto acreditam que histórias profundas informam e engajam mais e se colocam como um contraponto às notícias rápidas e superficiais do jornalismo diário.

2. Fluxo

O Fluxo se vende como um “território onde repórteres, cinegrafistas, fotógrafos, editores e artistas podem explorar novas possibilidades para o jornalismo”. Com o escritório aberto no Anhangabaú desde o ano passado, o Fluxo produz streamings, reportagens, artigos e entrevistas.

3. Aos Fatos

Aos Fatos
Aos Fatos será uma plataforma de cobertura diária dedicada à “verificação do discurso público”. O projeto quer checar se falas, documentos e peças publicitárias de políticos e personalidades são falsas, exageradas, imprecisas ou verdadeiras.

4. Nexo

O Nexo, que foi ao ar nesta semana, é um jornal digital feito com muitos nomes vindos de jornais tradicionais, como Estadão e Folha de S. Paulo. É feito para “quem busca explicações precisas e interpretações equilibradas sobre os principais fatos do Brasil e do mundo, com uma abordagem original”. O jornal funciona por assinatura: para acessar todo o conteúdo é preciso pagar R$ 12 por mês.

5. Risca Faca

É como diz o próprio site: O Risca Faca é jornalismo, cultura, comportamento e um tiquinho assim de carimbó. O site publica grandes histórias, personagens interessantes, análises incomuns e faz questão de dizer que não é guiado pelo ritmo das redes sociais e não quer ser “ser sisudo nem cabeçudo”.

6. Jornalistas Livres

O Jornalistas Livres diz ser uma mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e “defesa implacável dos direitos humanos”.

7. Think Olga

Think Olga
O Think Olga tem como objetivo empoderar mulheres por meio da informação e “retratar as ações delas em locais onde a voz dominante não acredita existir nenhuma mulher”. É um projeto criado para que as mulheres possam ter mais escolhas — foi pelo TO que nasceram iniciativas como a hashtag #primeiroassedio.

8. Amazônia Real

O Amazônia Real é focado no jornalismo investigativo, pautado nas questões da Amazônia e de seu povo. As reportagens são atualizadas uma vez por semana e a organização não tem fins lucrativos.

9. Ponte

Ponte é um canal de informações sobre Segurança Pública, Justiça e Direitos Humanos que “surgiu da convicção de que jornalismo de qualidade sob o prisma dos direitos humanos é capaz de ajudar na construção de um mundo mais justo”. A Ponte acredita que um jornalismo livre de compromissos econômicos pode dar maior visibilidade a questões que passaram a ser omitidas pela “mídia comercial”.

10. Projeto Draft

O Draft é um projeto dedicado a cobrir a inovação brasileira e acompanha o impacto do empreendedorismo criativo e a “efervescência das startups”.

11. Freak Market

O Freak Market é uma revista digital conceitual sobre cultura e arte urbana. O objetivo, segundo descrito no próprio site, é “trazer conteúdo de qualidade e com o toque de especialistas”.

12. AzMina

Revista feita para “mulheres reais”, onde há espaço para variados tipos de beleza, rostos e formas. Além de sugestões de looks que cabem no bolso, a AzMina diz investir em “reportagens profundas, independentes e responsáveis, sem rabo preso com anunciantes”.

13. Calle2

A Calle2 é uma revista digital que se propõe a ter um novo olhar sobre a América Latina. Reúne destinos turísticos inusitados, pratos típicos, ruas e povoados pouco conhecidos e “pessoas e ideias que colaboram para a construção de uma América Latina melhor”.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Google e publishers miram em redes sociais


O First Draft Coalition, projeto que visa auxiliar jornalistas a lidar com conteúdo produzido por usuários, lança site


Jason Washing é diretor global de parcerias estratégicas no Google
Crédito:  Arthur Nobre

Nesta segunda-feira, 23, foi lançado site do First Draft Coalition, projeto anunciado pelo Google News Lab, em parceria com outras oito instituições.

O objetivo do First Draft Coalition é orientar redações e veículos de mídia de todo o mundo sobre como reunir, verificar e comunicar notícias a partir de conteúdo gerado por usuários.

O site do projeto oferece artigos, estudos de caso, ferramentas e análises de comportamentos positivos na apuração, produção e publicação de notícias envolvendo conteúdo de redes sociais.


Além de ajudar o jornalista a entender melhor algumas técnicas de verificação, investigações e ética, o projeto se propõe a discutir dúvidas que surgem no dia a dia das redações. Os parceiros de Google News Lab no projeto são Bellingcat, Eyewitness Media Hub, Emergent, Meedan, Reported.ly, Storyful, Dig Deeper e Verification Junkie.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Concurso para a Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília


Até 4/12, estão abertas as inscrições para concurso de professor para a FAC, 
Área de conhecimento: Audiovisual: Produção, Direção, Fotografia e Som. Mais informações.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

‘Você no Estadão’: jornal cria app para participação do leitor

O jornal O Estado de S. Paulo quer transformar os leitores em pauteiros. Ao menos essa é a proposta do aplicativo ‘Você no Estadão’. O novo canal, anunciado pela empresa de comunicação na manhã desta terça-feira, 10, vai receber fotos e vídeos. Com a novidade, o impresso “objetiva uma aproximação ainda maior com o público, fazendo dele um fornecedor de informação”.
Por meio do aplicativo, o conteúdo fornecido pelo leitor será enviado diretamente à redação do diário. O material selecionado pelos editores do jornal serão veiculados no Estadão.com.br, em página criada especialmente para a interação com quem consome as notícias e opiniões da empresa: voce.estadao.co-m.br. As pautas sugeridas pelos leitores, porém, poderão ocupar as redes sociais mantidas pela marca e até mesmo a edição impressa.
Leia mais no C-SE.

Concurso para professor substituto de Jornalismo na UFG


Encontram-se abertas, até o dia 23/11, as inscrições ao processo seletivo para professor substituto de Jornalismo da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás - FIC/UFG. O candidato deverá ser Mestre em Comunicação ou áreas afins.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

UFSCar realiza II Jornada Internacional GEMInIS


A segunda edição da Jornada Internacional GEMInIS será realizada entre 17 e 19 de maio de 2016, na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).  O tema da jornada - "Entretenimento Transmídia: Séries Sob Demanda", é uma questão central para o futuro da indústria do audiovisual e da comunicação em geral e que será debatido junto com pesquisadores, profissionais e estudantes.


Submissão de Trabalho

12/10/2015 – Início da Submissão de Resumos

23/04/2016 – Prazo final para Submissão de Resumos

28/04/2016 – Prazo final de Comunicado de Aceite dos Resumos

01/08/2016 – Prazo final para envio dos artigos completos

Inscrições

01/05/2016 – Prazo Final Pagamento de inscrição com apresentação

19/05/2016 – Prazo final Pagamento de inscrição sem apresentação de trabalho


Inscrições e submissões de resumos 

As submissões de resumos também já estão abertas! Neste ano, a jornada será aberta aos grupos de pesquisa brasileiros e internacionais, com o intuito de divulgar os trabalhos desenvolvidos pelas equipes de pesquisadores. Busca-se assim, estabelecer um diálogo entre os grupos da área do audiovisual e da comunicação, bem como das artes e design, com seus variados objetos, referenciais teóricos e metodologias de análise.

O formato de apresentação de grupos, associado à temática do evento, deverá enriquecer o debate entre os participantes do evento e contribuir para a produção e difusão do conhecimento científico no campo de estudos das mídias audiovisuais multiplataformas.