sábado, 31 de dezembro de 2016

Brasil ou Brasil


Por considerar uma síntese das análises políticas  de 2016, republico o texto de Fernando como último post do ano:
Fernando Rosa
É verdade que sofremos um golpe de Estado sob bater de panelas sem esboçar reação de gente grande por não compreender seu caráter, origem e dimensão. Muito mais frágil institucionalmente do que o Brasil, a Venezuela deu um “chega pra lá” nos golpistas, assim como fez a Turquia, recentemente. Mas as lições apreendidas, somadas à nossa experiência histórica, apontarão o caminho para construção de uma direção para a luta, se não com as lideranças atuais, com as que virão.
Para tal, no entanto, é decisivo que o Brasil supere históricas dificuldades de atitude, sejam por ingenuidade ou traição, como advertiu o jornalista e professor Nilson Lage, em artigo no blog Tijolaço. Identificar seu verdadeiro inimigo, em primeiro lugar, e também assumir-se enquanto Nação e compreender o papel das Forças Armadas no processo de construção do país são tarefas imediatas. É preciso desatar esses nós para derrotar este golpe de Estado em curso e abrir caminho para a afirmação de uma Nação madura, com inserção soberana e multilateral no mundo.
Diferente do golpe de Estado de 1964, o atual é muito mais profundo e destrutivo interna e externamente, exigindo, portanto, considerar diferenças históricas, políticas e econômicas. Em 2016, a burguesia rentista nacional literalmente enfiou seus “colegas de classe” produtivos na cadeia, do que é símbolo Marcelo Odebrecht, diretor da maior empreiteira do mundo. Em 1964, os golpistas atacaram os direitos sociais e trabalhistas, mas mantiveram uma progressiva política de desenvolvimento, que culminou com o II PND, no governo Geisel.
No “front” externo, em 1964, havia um alinhamento a uma política de “guerra fria” que, de alguma maneira, resultava em investimentos de capitais na economia nacional. Atualmente, a vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas significou uma profunda derrota ao neoliberalismo global e predatório, ao qual os golpistas nativos submeteram-se econômica e ideologicamente. O mundo caminha na contramão do ideário ultrapassado dos golpistas, com afirmação cada vez maior das economias internas, dos empregos, da valorização das Nações.
O plano do sistema financeiro e da indústria bélica internacional era, a partir da vitória de Hillary Clinton, investir contra a Russia, a China e todos os seus aliados e projetos. O Brasil sempre foi um alvo central, para afastá-lo do BRICS, desde a espionagem da NSA, a captura dos agentes internos, a “primavera” de 2013 e, finalmente, o golpe judicial-parlamentar. A derrota dos Clinton e seu fantoche Barack Obama deixou os golpistas nativos à deriva, expostos às desesperadas medidas sociais, econômicas e políticas que apenas aprofundam o desastre.
No entanto,  a gangue rentista internacional e nacional definiu novas regras para a disputa do poder, afirmando alto e bom som que “o Estado brasileiro é meu”, ao apropriar-se da metade do Orçamento da União, por meio meio da PEC 241/55. Assim, apenas uma volta à aliança do “ganha-ganha”, com os preços altos das “commodities”, dos governos Lula e Dilma, já não é mais remédio para a doença que se abateu sobre a economia do país. A desmoralização das instituições, por outro lado, também exige novas soluções políticas, sem o que nem mesmo as “eleições diretas” sobreviverão a um novo assalto dos rentistas no futuro.
O Brasil precisa, portanto, antes de mais nada, posicionar-se no mundo, no jogo da geopolítica mundial, ocupando o espaço que lhe é devido, por sua condição social, econômica e geográfica. Isso não é papel apenas dos políticos, mas de todos os patriotas, em especial, neste momento, das Forças Armadas, diante do ataque que ameaça destruir a integridade nacional. É urgente superar, de lado a lado, a falsa bandeira da “guerra fria” que dividiu a Nação entre civis e militares, como bem lembrou recentemente o Comandante-geral do Exército, general Villas Bôas, para fragilizar o país frente aos interesses externos.
É também necessário romper com as velhas e novas “teorias da dependência” e retomar o papel do Estado como indutor da economia, abandonado após o II PND, nos anos setenta. Na época, diante do “drama” dos economistas com o “problema da inflação”, o então presidente Geisel afirmava que “o problema número um era desenvolver o país, dar empregos, melhorar as condições de vida da população”. Nos anos setenta, o PIB brasileiro era o dobro do chinês, enquanto hoje o PIB da China é o maior do mundo, resultado da política de Estado adotada.
O inimigo do Brasil é o sistema financeiro internacional, com suas faces públicas, ocultas ou paralelas que, para tentar sobreviver, insiste em destruir economias e inviabilizar Nações. O “fim do mundo unipolar” está chegando a passos largos com a afirmação de uma nova hegemonia política e econômica a partir do BRICS, do qual o Brasil faz parte. O Brasil é uma Nação inevitável, com um amplo mercado interno, extensão territorial e variadas riquezas naturais, exigindo uma direção política que seja capaz de colocar-se à altura dessa dimensão histórica.
Fonte: Senhor X

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Folha abre concurso para escolher ilustradores


UFBA seleciona jornalista

UFBA – Universidade Federal da Bahia
Local: Salvador, BA
Banca: UFBA (concursos.ufba.br)
Cargo: Jornalista
Salário: R$ 3.868,21
Carga horária semanal: 25h
Vagas: 2 (duas)
Inscrição: até 6 de fevereiro de 2017
Taxa de inscrição: R$ 100,00
Prova: 2 de abril de 2017
Link: Edital

CSM busca estagiários de marketing esportivo: Goiás


A CSM Brasil, multinacional que atua no ramo de marketing esportivo, gestora do programa de sócios torcedores do Goiás Esporte Clube busca 2 estagiários: 

http://vagas.com.br/v1446363

http://www.vagas.com.br/v1446492

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

UFMS abre seleção para mestrado em Comunicação


A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul divulgou Edital do Processo Seletivo 2017.1 do mestrado em Comunicação. As inscrições poderão ser realizadas entre 2 e 27 de janeiro de 2017.

Fonte: UFMS

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

UFSM abre concurso para docente na área de Rádio e TV


Seguem abertas, até o dia 17 de janeiro, as inscrições para concurso docente no Departamento de Comunicação da UFSM em Santa Maria (RS):

1. Área: Comunicação/Rádio e Televisão

2. Departamento/Centro de Ensino: Departamento de Ciências da Comunicação/Centro de Ciências Sociais e Humanas

3. Programa das provas
3.1. A história do rádio e suas reverberações no cenário contemporâneo
3.2. Conceitos, modelos, gêneros e formatos do radiojornalismo contemporâneo
3.3. Planejamento, pauta, apuração e reportagem na produção jornalística em áudio
3.4. Linguagem no radiojornalismo: texto, roteiro, edição e pós-produção na produção jornalística em áudio e rádio
3.5. Emissoras pública, comunitária, comercial: gestão de jornalismo, linhas editoriais, formatos e grades
3.6. Panorama e cenários do jornalismo em plataformas sonoras: características, possibilidades e limitações
3.7. Jornalismo em ambiente de convergência: o papel do áudio
3.8. Multimidialidade e transmidialidade na narrativa jornalística em áudio
3.9. Audiências e modelos de negócio no jornalismo contemporâneo
3.10. Jornalismo móvel: produção, circulação e consumo de informações;

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

UEPB lança livro online: Transmutações no Jornalismo



A Universidade Estadual da Paraíba lança livro para baixar gratuitamente, ler e circular: TRANSMUTAÇÕES NO JORNALISMO [Coleção Jornalismo Digital e Mobilidades, EDUEPB 2016]. Novo e-book disponível (online e gratuito para download). É só baixar: https://drive.google.com/open…

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Projeto do BOL abre espaço para conteúdo produzido por estudantes de jornalismo



Estudantes de jornalismo de todo o país terão em 2017 espaço participativo profissional na internet para colocar em prática o que aprendem na universidade. O projeto uniBOL propõe uma parceria com instituições de ensino superior públicas e privadas brasileiras para publicação de material noticioso inédito em formato de listas nas páginas editoriais do BOL.

É uma chance para que estudantes de jornalismo produzam conteúdo com foco em internet e tenham seu material publicado num grande portal. Também é uma oportunidade para vivenciar a dinâmica de pauta, produção e edição de uma redação online. O BOL conta atualmente com cerca de 10 milhões de visitantes únicos e 480 milhões de páginas vistas mensalmente, além de ter sua homepage entre as mais acessadas da web nacional.

A participação no projeto é firmada por meio da universidade, que deverá fazer o intermédio entre o BOL e os alunos de jornalismo. Portanto, se você é estudante e deseja participar, leve a ideia até a coordenadoria do seu curso, para que a universidade preencha o Termo de Adesão e Aceite. Após o documento ser preenchido, datado e assinado, deve ser digitalizado e enviado para uni.bol@bol.com.br, juntamente com os nomes, e-mails e telefones dos responsáveis executivos pelas pautas e produções, que terão contato direto com a Redação do BOL.

O conteúdo precisa ser produzido exclusivamente por estudantes de jornalismo, devendo seguir os padrões de redação e estilo do uniBOL e estar no formato lista. O primeiro processo de produção é feito dentro da universidade, quando os alunos, sob a coordenação de professores, definem, produzem e editam as pautas. Posteriormente, o material é enviado ao BOL para uma nova edição. 

Nesse momento, o portal pode solicitar adequações e ajustes no conteúdo ou fazer questionamentos referentes às informações.
http://t.dynad.net/pc/?dc=5550001892;ord=1481896763480https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001577;ord=1481896767582

As produções devem ser inéditas, terem cunho jornalístico, preferencialmente da modalidade hiperlocal, e serem orientadas para um destes temas: direitos humanos, meio ambiente e sustentabilidade, cidadania e responsabilidade social, inovação e tecnologia ou jornalismo de dados.

Fundação abre inscrições para prêmio que reconhece a mulher no fotojornalismo

Premiação carrega nome da fotojornalista Anja Niedringhaus (Imagem: Reprodução/Youtube)

A International Women's Media Foundation (IWMF) anunciou que premiará mulheres fotojornalistas que realizaram coberturas em ambientes perigosos, cujos trabalhos refletem a coragem e dedicação de Anja Niedringhaus, da Associated Press, que foi morta no Afeganistão em abril de 2014.

De acordo com os promotores do evento, o Prêmio Anja Niedringhaus de Coragem no Fotojornalismo busca candidatas “que exibem extraordinária força de caráter, coragem e perseverança na documentação do mundo”.
O vencedor do prêmio será homenageado publicamente, terá seu trabalho apresentado e receberá US $ 20.000. Embora o idioma preferido para nomeações seja o inglês, inscrições em qualquer idioma serão consideradas pela fundação.
As inscrições devem ser realizadas por meio do site da IWMF, onde está disponível o regulamento da premiação. O envio deve incluir dez fotografias que melhor representem o escopo e estilo de trabalho da candidata, acompanhadas por legenda descrevendo o lugar e situação onde a imagem foi capturada. 

Fonte: C-SE

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Grupo Projeção contrata analista de mídias sociais em Goiás


Divulgado edital do Mestrado em Comunicação da FIC/UFG




Fonte: FIC/UFG

Divulgado o Edital do Processo Seletivo do Mestrado em Comunicação da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás (FIC/UFG). As inscrições serão realizadas entre os dias 9 a 30 de janeiro de 2017. No total serão ofertadas 18 (dezoito) vagas, sendo dez (10) para a linha de pesquisa Mídia e Cidadania e oito (8) vagas para a linha de pesquisa Mídia e Cultura.
Para conferir o edital, clique aqui.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Vaga para professor de jornalismo em faculdade particular de Campina Grande (PB)


Faculdade Maurício de Nassau, unidade Campina Grande, abriu nesta quarta-feira (30), inscrições para o processo seletivo destinado ao preenchimento de 10 vagas para docentes nos cursos de Gastronomia, Jornalismo, Direito, Educação Física, Engenharia Mecânica, Arquitetura e Urbanismo e Biomedicina no período 2017.1.
As vagas são para as seguintes disciplinas: Cozinha Regional, Estudos e serviços de chá e café, Gastronomia saudável e funcional, Cozinha europeia e do mediterrâneo, Dimensões Teórico-Metodológicas das Lutas, Direito Empresarial, Vibrações Mecânicas, Estética, Introdução ao Projeto Arquitetônico e Hematologia Clínica, com carga horária de 40 e/ou 60 hora/aula.
Os interessados devem ter título de doutor na disciplina de interesse ou área afim.
Os candidatos devem ter disponibilidade para ministrar aulas no período noturno e/ou diurno nos horários estabelecidos pela respectiva coordenação do curso, currículo lattes atualizado e comprovado, contendo a relação dos títulos acadêmicos, relação de experiência profissional, atividades de docência superior e realizações científicas, técnicas, culturais, humanísticas ou artísticas.
Para participar da seleção o candidato deverá enviar o Currículo Lattes para os endereços eletrônicos indicados, sinalizando no assunto a disciplina que deseja concorrer a vaga até o dia 09 de dezembro de 2016, ocasião em que será realizada análise e o arquivamento no banco de dados da Instituição.
A seleção será realizada a partir da análise do currículo lattes, fase eliminatória, levando em consideração a formação acadêmica entre outros itens relevantes.
E, ainda por avaliação escrita, avaliação didático pedagógica e entrevista classificatória. A contratação dos aprovados será feita de acordo com a classificação obtida e não há obrigatoriedade da seleção preencher todas as vagas ofertadas, bem como nenhum item impede a realização de um novo processo seletivo. Outras informações pelo telefone (83) 2101-8918. Confira o edital completo no link.
O candidato deverá enviar o Currículo Lattes até o dia 09 de dezembro de 2016, para:
Gastronomia – nutrição.cg@mauriciodenassau.edu.br
Educação Física – edfisica.cg@mauriciodenassau.edu.br,
Engenharia Mecânica / Arquitetura – engcivil.cg@mauriciodenassau.edu.br

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

UFSJ lança edital para professor substituto do curso de Jornalismo


A Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) abriu seleção para uma vaga de professor substituto nas áreas de Teorias e Métodos nos Campos da Comunicação e do Jornalismo em suas Especificidades e nas suas Interfaces Sociais/Práticas Jornalísticas nos diferentes formatos midiáticos (Impresso, Rádio, TV e Web), 

Requisito Básico: Mestrado em Comunicação Social ou áreas afins. Regime de Trabalho: até 40 (quarenta) horas semanais. Inscrição: de 23 de novembro a 02 de dezembro de 2016, exclusivamente via SEDEX.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

IF Fluminense abre vaga para jornalista


As inscrições para o concurso vão de 1º a 30 de novembro, pelo site do IFFluminense (https://concursos.iff.edu.br), com taxa de R$ 90.

A prova objetiva será realizada em 12 de fevereiro, no município de Campos dos Goytacazes, preferencialmente em um dos campi do IFFluminense.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

“Dormir apenas 5 horas” é requisito para conseguir trabalhar na revista Vogue (WTC)


Um bate-papo com Daniela Falcão, diretora editorial da Editora Globo Condé Nast, Barbara Migliori, diretora de moda da Vogue, e Silvia Rogar, editora-chefe da Vogue Brasil, deu vida a seis dicas para profissionais que desejam trabalhar no impresso da Editora Globo. O texto afirma que "dormir apenas cinco horas por noite" e ter "flexibilidade física e emocional" são "o caminho das pedras" para se trabalhar na publicação.
A matéria com as dicas foi publicada na sexta-feira, 21. Assinado pela jornalista Luiza Mussnich, o texto afirma que além da "boa escrita, do imprescindível domínio do português e de um profundo conhecimento de história de moda - um mestrado especializado também sempre cai bem".
Todos os tópicos contêm explicação. Entre as dicas, a equipe afirma que para trabalhar na Vogue o profissional deve ter boa memória, bom humor, saber fazer a própria unha e maquiagem, gostar de tirar selfie e se "multiplicar e ser multitasking", já que pode acontecer de o profissional frequentar três festas na mesma noite e "escrever a crítica de um desfile a caminho de outro". "É preciso jogar bem nas 11 posições, resumiu o time", ressalta o veículo.
Na página oficial da Vogue Brasil noFACEBOOKhttp://cdncache-a.akamaihd.net/items/it/img/arrow-10x10.png, os internautas comentaram a reportagem. O post tem mais de 500 compartilhamentos e 3 mil reações até o fechamento desta reportagem. Nas mensagens, alguns usuários reclamam dizendo que o texto é "absurdo" e outros afirmam que as dicas serão "como mantras" para conseguir uma vaga na empresa.

 Fonte: C-SE

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

UFMT Cuiabá abre concurso para professores de Jornalismo, Cinema, Audiovisual e Radialismo

Comunicação Social/ Realização em Cinema e AudiovisualAssistente/ Dedicação ExclusivaGraduação em Comunicação Social – Radialismo, ou Graduação em Rádio e TV, ou Graduação em Cinema, ou Graduação em Audiovisual, ou Graduação em Artes/ Cinema, e Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas, ou Ciências Humanas, ou Linguística, Letras e Artes, ou Mestrado interdisciplinar na área de Sociais e Humanidades.
Comunicação Social/ Teorias e EstéticaAssistente/ Dedicação ExclusivaGraduação em Comunicação Social – Radialismo, ou Graduação em Rádio e TV, ou Graduação em Cinema, ou Graduação em Audiovisual, ou Graduação em Artes/ Cinema, e Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas, ou Ciências Humanas, ou Linguística, Letras e Artes, ou Mestrado interdisciplinar na área de Sociais e Humanidades.
Comunicação Social/ JornalismoAssistente/ Dedicação ExclusivaGraduação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, ou Graduação em Jornalismo, e Mestrado em Jornalismo, ou Ciência da Comunicação, ou Estudos de Cultura Contemporânea, ou Comunicação e Cultura.
Fonte: Agrobase

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Dez concursos federais agitam o mercado para Jornalistas


Ebserh – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares lançou quatro editais para a contratação de jornalistas. Os profissionais selecionados irão trabalhar no Estado do Rio, no Hospital Universitário da Unirio e no Hospital Universitário da UFF. As outras duas vagas são em Florianópolis, no Hospital Universitário da UFSC, e em Cajazeiras, Paraíba, no Hospital Universitário da UFCG.
Para as quatro vagas, independentemente da localidade, o salário será de R$ 3.381,12, para uma jornada de 25 horas de trabalho semanais. O regime de contrato é celetista.


Institutos Federais
As inscrições estão abertas para o Instituto Federal Mato Grosso, localizado na cidade Pontes e Lacerda, em Mato Grosso, para o Instituto Federal Sul de Minas, localizado na cidade de Pouso Alegre, e Instituto Federal de Minas Gerais,  localizado na cidade de Governador Valadares, ambas em Minas Gerais, e para o Instituto Federal Fluminense, localizado na cidade de Campos dos Goytacazes, Estado do Rio.
O salário de Mato Grosso é de R$ 4.692,77, para uma carga horária semanal de  40 horas. Nos demais institutos, o salário é menor, R$ 3.868,21, para uma jornada semanal de 25 horas. Em todos os casos, há adicional de especialização variando em função da formação acadêmica do aprovado. O regime de contratação é o RJU.

Universidades

Duas universidades federais também selecionam jornalistas: UFPA – Universidade Federal do Pará e UFBA – Universidade Federal da Bahia. O salário em ambos os casos é de R$ 3.868,21. No Pará a jornada é de 40 horas e na Bahia de 25. O regime de contratação é o RJU do servidor público federal.


Fonte: 

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

[vaga] [social media] [sertanejo] em Goiânia

Repassando:

Algum Social Media para trabalhar no segmento sertanejo? É para uma produtora de música do segmento. Procura-se alguém bemmm criativo, trabalho de meio período, legal que tenha conhecimento também com YouTube. Quem tiver interesse favor enviar e-mail para moreirashelly@gmail.com.

Salário a combinar, no mínimo piso de jornalista com carga horária de 5 horas por dia.

Fonte: Ju Albuquerque Moreira

domingo, 11 de setembro de 2016

UFMT Cuiabá abre vagas para Comunicação e Jornalismo


A Universidade Federal de Mato Grosso abriu vagas para professor , no campus Cuiabá, nas seguintes subáreas: Comunicação Social/Realização em Cinema e Audiovisual, Comunicação Social/Teorias e Estética, Comunicação Social/Jornalismo, Comunicação Social/Publicidade e Propaganda,

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Inscrições abertas para Prêmio de Jornalismo Científico do Mercosul



A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do Mercosul (RECyT) abre chamada para o I Prêmio de Jornalismo Científico do Mercosul. O tema é “Ciência, Tecnologia e Inovação para a Alimentação”, e as inscrições podem ser feitas até 30.set.2016.

O prêmio tem como objetivo promover a divulgação da ciência, tecnologia e inovação através do jornalismo científico. Interessados em participar podem inscrever reportagens escritas em português ou espanhol -nas modalidades estudante e profissional -  e trabalhos de fotojornalismo.

As reportagens inscritas no prêmio, na categoria profissional, devem ter sido publicadas em meios impressos ou em portais da web entre 1.JAN.2015 e 30.SET.2016.

Os interessados em inscrever reportagens na categoria de “estudantes” devem estar matriculados no curso de jornalismo e ter entre 18 e 24 anos. Os textos devem ter entre 1.500 e 3.500 palavras.

As fotografias elegíveis para o prêmio devem ter sido produzidas entre 1.JAN.2015 e 30.SET.2016 e devem ser enviadas junto com um texto, de 100 palavras no máximo,  que permita interpretar o interesse científico e tecnológico da imagem.

Os materiais para avaliação do prêmio devem ser enviados através do e-mailperiodismocienmercosur@conacyt.gov.py, em formato word ou pdf (texto) e jpg (imagem), com o assunto “PREMIO PERIODISMO CIENTÍFICO DEL MERCOSUR” e com as informações da ficha técnica no corpo do e-mail.

Os três primeiros lugares de cada categoria receberão uma placa e o reconhecimento da RECyT.

Para mais informações, acesse o regulamento do prêmio.

Fonte: Abraji

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Jornalista recém-formada na UFG apresenta trabalho em congresso internacional de ciberjornalismo



Na primeira semana de outubro próximo, a jornalista recém-formada na Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás (FIC/UFG) Yasmim Raissa Silva Pessoa vai apresentar, no 7º Congresso Internacional de Ciberjornalismo  (#Ciberjor7)na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, o paper  intitulado  Para Além do Conteúdo: E-portfólio Como Ferramenta de Planejamento e Desenvolvimento da Carreira Jornalística.  O trabalho foi orientado pelo professor do curso de Jornalismo da FIC/UFG Alfredo Costa.

O congresso acontece entre os dias  5 e 7 de outubro e terá transmissão ao vivo pela internet por meio do canal do Ciberjor/UFMS no YouTube. Serão transmitidas as palestras do evento, além da sessão da Conferência de abertura com tema Ciberjornalismo e Modelos de Produção: appificação e desafio glocal. Uma das palestras será do jornalista, pesquisador e professor da Universidade do País Basco (UPV), Espanha, Koldo Meso, coordenador do Congreso de Ciberperiodismo y Web 2.0  e professor titular do Departamento de Jornalismo da UPV e todas as sessões de debates realizadas no período noturno. 

Outro destaque internacional é o jornalista, pesquisador e professor da Universidade de New Jersey (EUA), Rutgers Escola de Comunicação e Informação John Pavlik, considerado referência internacional na pesquisa em ciberjornalismo. Pavlik é autor do livro “ jornalismo e os novos meios de comunicação, entre outros, publicado em 2001 pela Universidade de Columbia, que se tornou um completo e importante guia para entender os novos meios e utilizá-los no jornalismo.


7º Congresso Internacional de Ciberjornalismo terá a participação de pesquisadores brasileiros de referência no desenvolvimento do Ciberjornalismo como o professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUC-RS Eduardo Pellanda, que realizou pesquisa de pós-doutoramento no Instituto Massachusetts de Tecnologia, MIT.

Novo curso online de jornalismo de dados em português ensina a automatizar coleta de dados da web


A etapa mais penosa do jornalismo de dados costuma ser a de coleta, especialmente quando o jornalista precisa estruturar planilhas a partir de relatórios PDF, páginas da internet ou redes sociais. O novo curso online em português oferecido pelo Centro Knight e pela Escola de Dados vai mostrar como contornar esse problema e automatizar a coleta de dados da web.
O curso "Raspagem e Mineração de Dados para Jornalistas" será ministrado de 5 de setembro a 2 de outubro por Marco Túlio Pires, coordenador global da rede Escola de Dados, no JournalismCourses.org, o programa de ensino à distância do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas em Austin.
Trata-se de um BOC (big online course), uma modalidade de cursos na internet lançada no ano passado pelo Centro Knight que cria oportunidades de treinamento mais avançado e mais especializado que os MOOCs (cursos massivos). Ao contrário dos MOOCs, que geralmente têm milhares de alunos e são grátis, os BOCs têm número limitado de alunos e um custo. Este BOC tem uma taxa de inscrição de 95 dólares, que deve ser paga com cartão de crédito. As vagas são, portanto, limitadas e a inscrição pode ser feita neste link.